VIDA DE POLICIAL / BA - Subtenente da Polícia Militar é baleado na cabeça durante ronda no bairro Valéria em Salvador.

Parentes e colegas de PM baleado aguardam informações na porta do Hospital do Subúrbio (Foto: Tailane Muniz/CORREIO)

O subtenente da Polícia Militar Paulo César da Silva Brandão, 50 anos, foi baleado na cabeça, no final da tarde desta segunda-feira (17), durante uma ronda no bairro de Valéria, em Salvador. De acordo com informações do posto da Polícia Civil do Hospital do Subúrbio, para onde o policial foi socorrido por colegas, o estado de saúde de Paulo, que está no centro cirúrgico, é considerado "gravíssimo".

O boletim de ocorrência registrado no local informa que o policial foi surpreendido por um grupo de traficantes que "saiu de uma região de mata", e que o subtenente não viu quem o atingiu.
Ainda de acordo com o registro, Paulo chegou à unidade de saúde consciente, por volta de 17h10.
"O estado, no entanto, inspira cuidados por se tratar de um tiro na região da cabeça. O policial foi imediatamente direcionado ao centro cirúrgico, onde permanece internado", completa o registro.
Apesar da situação delicada, o comandante da 31ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Valéria), major Elson Pereira, disse ao CORREIO que Paulo César não corre risco de morte.
"Ele foi atingido na cabeça e a bala transfixou, ou seja, entrou de um lado e saiu pelo outro. Foi imediatamente socorrido por dois colegas que acompanhavam ele e se encontra agora na sala de cirurgia mas está fora de perigo", informou o comandante.
Quando foi baleado do lado direito da cabeça, Paulo atuava como coordenador de uma equipe da 31ª CIPM, que estava em incursão na Rua do Sossego, por volta de 17h.
Major Elson relatou que o subtenente estava acompanhado de mais dois PMs, quando foi surpreendido pelos disparos. "É uma área dominada por uma facção criminosa. Ele fazia um patrulhamento, em uma região alta do local e não viu de onde partiram os tiros. O socorro foi rápido e em poucos minutos ele já estava aqui na emergência do hospital", destacou o comandante, acrescentando que não houve troca de tiros.
Ainda segundo o major, o PM baleado integra a corporação há 27 anos. Cerca de 20 pessoas, entre familiares e policiais militares, aguardavam no hospital mais informações sobre o estado de saúde do subtenente na noite desta segunda.
Correio24hrs

Escrito por REDE DE COMUNICAÇÃO DO POLICIAL

Seu Portal informativo, aqui você bem informado.